Buscador

Resultados (5):

Determinação quantitativa de macronutrientes (NPK) em hortaliças folhosas comercializados em feiras livres

AVANCES EN HORTICULTURA - REVIEW | Dos Santos Viana, J.; Nascimento Gomes, A. M.; Nahuz Lourenço, M. S.; Chagas Filho, E.

Etiquetas: hortaliças, preferência alimentar, qualidade nutricional

PDF 752.7 KB (84 descargas)

A busca por hortaliças folhosas de boa qualidade tem crescido, observando-se consumidores cada vez mais exigentes quanto à aparência, cor e tamanho desses produtos. A qualidade química é um dos principais parâmetros utilizado no controle dos alimentos visando principalmente à saúde humana. O objetivo deste trabalho foi determinar os teores de macronutrientes em hortaliças folhosas comercializadas em feiras livres da cidade de São Luís – MA. O experimento foi conduzido no laboratório de nutrição mineral de plantas do núcleo de engenharia da Universidade Estadual do Maranhão. De um universo de 14 hortaliças folhosas foram selecionadas seis de maior consumo em cinco feiras livres por meio da aplicação de questionários. Os teores de N foram determinados por meio de digestão sulfúrico/peroxido de hidrogênio e P e K por meio de digestão nitro-perclórica. As seis hortaliças folhosas selecionadas foram: Lactuca sativa, Allium schoenoprasum, Coriandrum sativum, Brassica oleracea capitata, Talinum triangulare e Hibiscus sabdariffa. Verificou-se que as hortaliças regionais são as mais consumidas pela população, com destaque para as hortaliças não convencionais Hibiscus sabdariffa e Talinum triangulare. Já os resultados obtidos nas análises químicas demonstraram deficiências de potássio e fósforo para as amostras de Lactuca sativa e Brassica oleracea capitata nas cinco feiras estudadas, indicando o uso inadequado de adubação mineral (excesso ou deficiência) dessas hortaliças. Enquanto que para as demais hortaliças como as não convencionais se fazem necessários mais estudos pois a literatura é deficiente de informações para elas.

Recursos conservacionistas para o cultivo de base familiar da abobrinha-de-moita em solo argiloso

HORTICULTURA | Fascin Berni, R.; Oliveira Cardoso, M.; Westphal Muniz, A.; Cohen Antônio, I.; Maia Chaves, F. C.

Etiquetas: Cucurbita pepo L, preparo localizado do solo, matéria orgânica, cobertura morta do solo, nitrogênio mineral, biomassa microbiana

PDF 594.7 KB (28 descargas)

O aumento da população no Amazonas oriunda de outros estados brasileiros incrementou a demanda por abobrinha-de-moita, tornando-a opção para os produtores. Objetivou-se estudar para o cultivo em base familiar da abobrinha-de-moita (Cucurbita pepo L.), cv. Caserta, o uso de cobertura morta, com e sem N mineral, associado ao revolvimento localizado em Latossolo Amarelo muito argiloso, no período pouco chuvoso, em Manaus-AM (07/2011 a 09/2011). O delineamento experimental foi em blocos casualizados com seis tratamentos e quatro repetições [TEST – testemunha absoluta, solo sem cobertura vegetal e sem uréia; CC – com cobertura de capim seco (150 L parcela-1); CF200 – com cobertura de flemíngia (200 L parcela-1 ); CF200U10 – Com cobertura de flemíngia  (200 L parcela-1) e uréia (10 g cova-1); CF200U20 –  Com cobertura de flemíngia  (200 L parcela-1) e uréia (20 g cova-1); CF400 –  Com cobertura de flemíngia  (400 L parcela-1)], todos com uma base de P e K.  O tratamento CF200U20 destacou-se dos demais quanto ao número de frutos, junto com excelente massa de frutos, com produção próxima ao triplo da média do Estado de São Paulo, maior produtor brasileiro. Em geral, as plantas não apresentaram problemas nutricionais. E, evidenciou-se aumento da biomassa e atividade microbiana do solo com a cobertura de flemíngia. Portanto, é possível agregar bases conservacionistas ao cultivo dessa cucurbitácea, sem prejuízo ao rendimento.

Resúmenes de Horticultura - XXXVIII Congreso Argentino de Horticultura

CONGRESOS |

PDF 872.3 KB (236 descargas)

Influencia de los extractos acuosos de rizomas de sorgo de Alepo (Sorghum halepense L.) sobre la micorrización y el crecimiento de plantas de Mentha x piperita L.

AROMATICAS | Arango, C.; Ruscitti, M.; Ronco, M. y Beltrano, J.

Etiquetas: Phylum Glomeromycota, alelopatía, micorrizas, succinato deshidrogenasa, fotosíntesis

PDF 458 KB (18 descargas)

El objetivo del presente trabajo fue evaluar el efecto de extractos acuosos de rizomas de Sorghum halepense (sorgo de Alepo) sobre la colonización micorrícica, la viabilidad de las estructuras fúngicas, la biomasa total, la conductividad relativa de las membranas celulares y la fotosíntesis de plantas de Mentha x piperita L. Estacas de menta enraizadas inoculadas y no inoculadas con Glomus intraradices B1 o Glomus mosseae crecieron durante 60 días en una mezcla de perlita:vermiculita:arena tindalizada, regadas con solución de Hoagland y con cuatro concentraciones de extracto acuoso de rizomas de sorgo de Alepo S: 0 %, 5 %, 10 %, 15 %. El experimento fue realizado en invernáculo siguiendo un diseño experimental completamente al azar en un factorial 3 x 4. El mayor nivel de colonización micorrícica se presentó en los tratamientos libres de sorgo de Alepo, 87 % y 92 % para G. mosseae y G. intraradices respectivamente, disminuyendo significativamente con la mayor dosis de extracto. La viabilidad de las estructuras fúngicas también disminuyó significativamente. La dependencia micorrícica aumentó un 35 % con la mayor dosis de extracto. Las mayores concentraciones redujeron significativamente la biomasa total y la fotosíntesis neta, aumentando la conductividad relativa de las membranas de hojas y raíces. Las plantas inoculadas mostraron un mejor comportamiento comparadas con las no inoculadas. Los extractos acuosos de sorgo de Alepo disminuyeron el crecimiento de las plantas mientras que la inoculación con hongos micorrícicos morigeró sus efectos adversos.

Resúmenes de Fruticultura - XXXIII Congreso Argentino de Horticultura

CONGRESOS |

PDF 665.9 KB (100 descargas)

Licencia Creative Commons Horticultura Argentina es licenciado bajo Licencia Creative Commons Atribución-NoComercial 2.5 Argentina