Buscador

Resultados (7):

Determinação quantitativa de macronutrientes (NPK) em hortaliças folhosas comercializados em feiras livres

AVANCES EN HORTICULTURA - REVIEW | Dos Santos Viana, J.; Nascimento Gomes, A. M.; Nahuz Lourenço, M. S.; Chagas Filho, E.

Etiquetas: hortaliças, preferência alimentar, qualidade nutricional

PDF 752.7 KB (84 descargas)

A busca por hortaliças folhosas de boa qualidade tem crescido, observando-se consumidores cada vez mais exigentes quanto à aparência, cor e tamanho desses produtos. A qualidade química é um dos principais parâmetros utilizado no controle dos alimentos visando principalmente à saúde humana. O objetivo deste trabalho foi determinar os teores de macronutrientes em hortaliças folhosas comercializadas em feiras livres da cidade de São Luís – MA. O experimento foi conduzido no laboratório de nutrição mineral de plantas do núcleo de engenharia da Universidade Estadual do Maranhão. De um universo de 14 hortaliças folhosas foram selecionadas seis de maior consumo em cinco feiras livres por meio da aplicação de questionários. Os teores de N foram determinados por meio de digestão sulfúrico/peroxido de hidrogênio e P e K por meio de digestão nitro-perclórica. As seis hortaliças folhosas selecionadas foram: Lactuca sativa, Allium schoenoprasum, Coriandrum sativum, Brassica oleracea capitata, Talinum triangulare e Hibiscus sabdariffa. Verificou-se que as hortaliças regionais são as mais consumidas pela população, com destaque para as hortaliças não convencionais Hibiscus sabdariffa e Talinum triangulare. Já os resultados obtidos nas análises químicas demonstraram deficiências de potássio e fósforo para as amostras de Lactuca sativa e Brassica oleracea capitata nas cinco feiras estudadas, indicando o uso inadequado de adubação mineral (excesso ou deficiência) dessas hortaliças. Enquanto que para as demais hortaliças como as não convencionais se fazem necessários mais estudos pois a literatura é deficiente de informações para elas.

Avaliação microbiológica de hortaliças folhosas na região Fronteira Oeste do Rio Grande do Sul, Brasil

HORTICULTURA | Ferreira, M. B.; Nespolo, C. R.; Brasil, C.C. B.; Bordin, L. C.; Teixeira, B. K.; Model, B. P.; Pinheiro, F. C.

Etiquetas: vegetais folhosos, agricultura, microbiologia de alimentos, inocuidade dos alimentos

PDF 501.6 KB (23 descargas)

O consumo de hortaliças é benéfico, no entanto, a ingestão de alimentos contaminados pode provocar doenças. O objetivo deste estudo foi obter dados sobre a qualidade microbiológica de hortaliças folhosas produzidas na região Fronteira Oeste do Rio Grande do Sul. Amostras de alface, couve folha, rúcula e maços de salsa e cebolinha foram coletadas, com quantificação de coliformes totais e termotolerantes pelo método do número mais provável e detecção de Salmonella sp. pelo sistema rápido Petrifilm™ Salmonella. Foi aplicado um questionário para compreender o sistema de cultivo de hortaliças usado na região: local, tipo de adubo, fonte de água e imediações. Os resultados demonstraram altas contagens de coliformes, variando de 2,21 a 3,38 NMP/g para coliformes totais e de 0,60 a 3,38 log NMP/g para coliformes termotolerantes, e 47% (n=16) de prevalência de Salmonella sp. Além disso, 100% (n=8) das amostras de rúcula, 85,7% (n=6) do tempero verde, 75% (n=6) da couve folha e 60% (n=6) da alface foram classificadas como impróprias para consumo, principalmente nos municípios de São Borja e Alegrete. O uso de adubo considerado orgânico e de água não tratada para irrigação, e a criação de animais próximos às produções poderiam ser alguns dos fatores envolvidos neste tipo de contaminação. A contaminação microbiana indicou qualidade higiênico-sanitária deficiente, o que enfatiza a necessidade de boas práticas agrícolas e de manipulação para hortaliças a fim de reduzir os riscos à saúde dos consumidores.

Fitossociologia em sistema orgânico de produção de alface

HORTICULTURA | Teixeira da Silva, C., Alves Ferreira, E., Mendes Pereira, G. A., Teixeira Fialho, C., Vidal Ribeiro, V. H., Barbosa do Santos, J.

Etiquetas: plantas infestantes, interferência, agricultura orgânica, índice de valor de importância, mulching

PDF 927.3 KB (30 descargas)

A procura de métodos eficientes que auxiliem no conhecimento da população de plantas infestantes, por meio da identificação, frequência, densidade e abundância das espécies prevalecentes, é de extrema importância, uma vez que faz parte do conjunto de variáveis na interferência final entre plantas. Diante do exposto, objetivou-se realizar um estudo fitossociológico de plantas espontâneas em áreas cultivadas com alface em sistema orgânico, buscando verificar a ocorrência de mudanças de espécies. Os tratamentos resultaram da combinação entre fatores fonte de minerais (compostos de serrapilheira, bokashi, e a mistura destes com super-fosfato-simples) e presença ou não de sombreamento promovido por mulching. Observouse que a alteração dos compostos orgânicos e adubação convencional aplicados no cultivo de alface interferem na dinâmica de plantas espontâneas presentes nas áreas, sendo que, o grau de diversidade e similaridade de espécies é maior entre as áreas com e sem mulching. As espécies mais importantes de acordo com as condições de condução trabalho (com mulching) foram Galinsoga parviflora na área I e Gnaphalium spicatum na área II (sem mulching).

Consórcio couve-de-folha (Brassica oleracea var. acephala) e cariru (Talinum triangulare) sob duas alternativas de fertilização em cultivo protegido

HORTICULTURA | Oliveira Cardoso, M.; Cohen Antônio, I.; Fascin Berni, R.; Kano, C.

Etiquetas: Brassica oleracea var acephala, Talinum triangulare, hortaliça não-convencional, índices agroeconômicos

PDF 918.3 KB (56 descargas)

A consorciação de hortaliças é prática bastante comum entre agricultores familiares. Neste trabalho foi estudado o consórcio da couve-de-folha com o cariru, sob duas alternativas de fertilização em cobertura, como aditivo à fertilidade residual do solo em condições de cultivo protegido. O ensaio (30/07/2014 a 17/09/2014) teve delineamento experimental de blocos ao acaso com três repetições (2,26 m2) e nove tratamentos (três sistemas de cultivo: couve-de-folha solteiro, cariru solteiro e consórcio couve-de-folha + cariru; e três manejos: testemunha absoluta - somente água; biofertilizante - 15%, em água; e uréia -1 g L-1 de água). Os manejos foram aplicados semanalmente (10 L por parcela). Os índices agronômicos (massa verde, número de folhas e número de ramos) destacaram-se no cultivo solteiro, com a performance, exceto do número de folhas da couve-de-folha, sobressaindo com uso de uréia. Entretanto, os resultados da Eficiência Produtiva, do Uso Eficiente da Terra e da Renda Bruta, guardando coerência entre si, atribuíram ao cultivo consorciado melhor aproveitamento geral dos fatores, particularmente, com uso de uréia.

Recursos conservacionistas para o cultivo de base familiar da abobrinha-de-moita em solo argiloso

HORTICULTURA | Fascin Berni, R.; Oliveira Cardoso, M.; Westphal Muniz, A.; Cohen Antônio, I.; Maia Chaves, F. C.

Etiquetas: Cucurbita pepo L, preparo localizado do solo, matéria orgânica, cobertura morta do solo, nitrogênio mineral, biomassa microbiana

PDF 594.7 KB (28 descargas)

O aumento da população no Amazonas oriunda de outros estados brasileiros incrementou a demanda por abobrinha-de-moita, tornando-a opção para os produtores. Objetivou-se estudar para o cultivo em base familiar da abobrinha-de-moita (Cucurbita pepo L.), cv. Caserta, o uso de cobertura morta, com e sem N mineral, associado ao revolvimento localizado em Latossolo Amarelo muito argiloso, no período pouco chuvoso, em Manaus-AM (07/2011 a 09/2011). O delineamento experimental foi em blocos casualizados com seis tratamentos e quatro repetições [TEST – testemunha absoluta, solo sem cobertura vegetal e sem uréia; CC – com cobertura de capim seco (150 L parcela-1); CF200 – com cobertura de flemíngia (200 L parcela-1 ); CF200U10 – Com cobertura de flemíngia  (200 L parcela-1) e uréia (10 g cova-1); CF200U20 –  Com cobertura de flemíngia  (200 L parcela-1) e uréia (20 g cova-1); CF400 –  Com cobertura de flemíngia  (400 L parcela-1)], todos com uma base de P e K.  O tratamento CF200U20 destacou-se dos demais quanto ao número de frutos, junto com excelente massa de frutos, com produção próxima ao triplo da média do Estado de São Paulo, maior produtor brasileiro. Em geral, as plantas não apresentaram problemas nutricionais. E, evidenciou-se aumento da biomassa e atividade microbiana do solo com a cobertura de flemíngia. Portanto, é possível agregar bases conservacionistas ao cultivo dessa cucurbitácea, sem prejuízo ao rendimento.

Respuesta del cultivo de zanahoria a la aplicación de dos abonos orgánicos al suelo

HORTICULTURA | Armadans Rojas, A; Britos, U; Barrios. O

Etiquetas: zanahoria, abono orgánico, rendimiento, y calidad

PDF 546.7 KB (607 descargas)

El ensayo fue realizado en el distrito de Minga Guazú- Paraguay, paralelos 25º29'04''S y los meridianos 54º45'52''O. El trabajo consistió en la siembra de la Zanahoria (Daucus carota L.) con aplicación de dos tipos de abono orgánicos (estiércol vacuno y gallinaza) en diferentes dosis. El objetivo general fue determinar el rendimiento, peso y diámetro de raíz. El diseño utilizado fue bloques completamente al azar con 5 tratamientos; T1: Testigo (sin ninguna fertilización), T2: 3 kg.m-2Gallinaza, T3: 5 kg.m-2 Gallinaza, T4: 3 kg.m-2 Estiércol vacuno, T5: 5 kg.m-2 Estiércol vacuno y 4 repeticiones totalizando 20 unidades experimentales. El método de análisis estadístico utilizado fue el ANOVA y el Test de Tukey (P ≤ 5%) para la comparación de medias. El resultado del trabajo permitió concluir que hubo efecto de los tratamientos sobre las variables estudiadas, el tratamiento T3 (5 kg.m-2 Gallinaza) fue el que presento mayor peso de raíz (191 g), ya los tratamientos T3 y T2 fueron los que presentaron mayores valores en diámetro de la raíz, y en rendimiento

Resúmenes de Aromáticas - XXXVII Congreso Argentino de Horticultura

CONGRESOS |

PDF 544 KB (38 descargas)

Licencia Creative Commons Horticultura Argentina es licenciado bajo Licencia Creative Commons Atribución-NoComercial 2.5 Argentina